30 de dezembro de 2013

Evolução das câmeras digitais (Ano de 2009)

   Enfim chegamos ao ano de 2009, o ano anterior à criação do blog Foto Fácil e, por esta razão, a última parte desta história que comecei a contar no ano passado. Imagino que esta história (como tantas outras contadas) tenha algumas falhas, alguns furos, alguns exageros, mas acho que deu pra ter uma ideia do que aconteceu com a fotografia digital desde os seus primórdios. Então, já que é uma matéria de despedida, vejamos como a Epson se despediu da fotografia digital.
Visual elegante da Epson RD1x
   A câmera Epson RD1x, assim como sua antecessora que foi a primeira rangefinder digital, foi uma excepcional câmera com sensor CCD APS-C de 6 megapixels mas o pacote todo se tornava caro demais já que a baioneta era a Leica M e lentes Leica não são nada baratas, mesmo a câmera custando bem menos que uma Leica M8. É item de colecionador.
20x de zoom era muita coisa pra época, e hoje tem gente que não se contenta com 30x...
   A Sony inaugurou sua nova série de câmeras superzoom com a Sony HX1, era a essa câmera que eu me referia na matéria anterior quando falei do projeto mal-sucedido da Canon. A HX1 era melhor que a Canon SX1 e isso deu mais força ao uso de sensor CMOS em compactas após o fracasso da concorrente. Com um sensor de 9 megapixels ligeiramente menor que o padrão das compactas e o advento das novas lentes Sony G, estava declarada a guerra dos megapixels e do zoom em que os números passariam a crescer assustadoramente a partir deste momento.
Nikon D3000 foi uma câmera que já nasceu obsoleta: sensor CCD, não possuía live view e não fazia vídeos
   A Nikon inaugurava uma nova nomenclatura nas suas reflex de entrada e de nível intermediário, agora tudo ficava mais bem definido: a categoria mais inferior começava com a Nikon D3000 e a seguinte começava com a Nikon D5000, eram as duas categorias de DSLR Nikon que não possuiriam o motor de foco. Depois viria também a D7000, em uma categoria acima destas duas, e todas estas séries fazem muito sucesso hoje em dia.
A Canon T1i talvez tenha sido a pior DSLR digital que a Canon já fez, mas ainda assim é boa
   A Canon também iniciou uma mudança na sua nomenclatura de câmeras reflex, mas apenas para o mercado americano. Enquanto na Europa seguia-se a numeração 500D e desde 2003 na Ásia era usada a série Kiss e na América a série Rebel, a partir de 2009 a nomenclatura na América passava a contar com a Canon T1i (que, por acaso, é minha companheira até hoje). As câmeras seguintes mudariam apenas o número entre as duas letras. Tudo em nome da facilidade e também da obsolescência programada...
Visual arrebatador, relembrando as antigas câmeras PEN de filme
   A Olympus seguia os passos de sua parceira Pansonic e colocava no mercado, ou melhor, reinventava sua série de câmeras PEN com a belíssima Olympus PEN-EP1. Esta sim conseguia colocar um grande sensor em um corpo pequeno de lentes intercambiáveis, e se hoje já vemos muitos modelos neste estilo e de várias marcas diferentes é tudo graças ao trabalho que a Olympus começou.

A Samsung ST500 (ou TL220) foi a primeira a contar com duplo LCD
   Não poderia me esquecer das Samsung ST500 e ST550 que foram as primeiras câmeras com duplo LCD, um pequeno monitor foi inserido na frente da câmera, ao lado da lente, para facilitar os autorretratos (que na época ainda não se chamavam selfies). Eram câmeras com sensores CCD de 12MP, contavam com lentes Schneider-Kreuznach com distância focal entre 27-124mm (4.6x de zoom) e a única diferença entre elas é que a primeira possui LCD traseiro de 3 polegadas e o da segunda mede 3.5 polegadas. Faz sucesso até hoje.

É...
   Para terminar tinha que ter algo bizarro, e a eleita foi a Fuji W1. Uma câmera com duas lentes (a Kodak já tinha feito algo semelhante mas sem destaque) que gerava uma imagem em 3D. O preço aqui no Brasil era um absurdo, custava algo em torno de 2 mil reais e era uma câmera com sensor CCD padrão em compactas e uma, ops, duas lentes com 3x de zoom. Ainda houve uma sucessora desta câmera e me lembro depois de ter visto lojas desesperadas querendo vendê-la por 500 reais. E ainda estava caro...

16 comentários:

  1. Volto a perguntar: posso colocar os links da série lá no MF?
    Nesse post, não sei se vc quis manter uma lógica numérica, mas antes da Nikon D7000, teve a D90. A D7000 é sucessora da D90.
    No mais, parabéns pela série! Muito bacana!!
    AMEI essa Epson lindona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que pode, Helena! Quando quiser.

      A D90 tá na parte 15, já que ela foi lançada em 2008.

      Excluir
  2. Ótima série... como sempre muito bem escrito! Feliz 2014 para você também Rodrigo ! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela presença constante aqui no blog.

      Excluir
  3. Parabéns para mais um belo artigo sobre a evolução das cameras. Vi a D3000 já trabalhei com ela, com a D90, D3100, D5000. E tinha feito uma pergunta para você, mas já não lembro onde postei, por isso quero perguntar de novo. Com US$ 1200,00 o que você recomenda, estamos indo para os EUA de novo e dessa vez quero investir um pouco mais numa boa camera e lente. Aguardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pela sua presença constante aqui no blog.

      Acho que a Nikon D7000 continua sendo uma boa pedida hoje, já que no exterior ela custa apenas 700 dólares, é muito pouco pra uma câmera desse porte. E com 1000 dólares ela já vem com a 18-105mm, uma lente coringa que te atende muito bem.

      Excluir
  4. A Sony HX1 foi reponsável por despertar o meu interesse por fotografia. A Sony acertou bem naquela superzoom, faltando apenas uma sapata de flash. Depois, a Sony desceu a ladeira na guerra dos megapixels, infelizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi bem isso o que aconteceu, a HX1 era ótima, a líder naquele momento. A partir dali recuperou a fatia de mercado que tinha perdido e o aumento dos megapixels foi determinante pra que ela continuasse vendendo mais. Até hoje.

      Excluir
  5. Meu amigo você está de parabéns, encontrar uma série dessas em português é quase uma missão impossível huahuahua.
    Feliz 2014!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, fico feliz com isso. Você consegue encontrar a série completa aqui: http://forum.mundofotografico.com.br/index.php?topic=96645.0

      Excluir
  6. Por que você considera a Canon T1i a pior reflex da canon?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque ela simplesmente faz as piores imagens que uma reflex Canon já fez. Até a T3, que tanta gente deixa de comprar só por ser barata, nem param pra analisar o que ela tem de bom e preferem pagar a mais na T3i sem nem saber o que ela tem de melhor, da minha esposa é bem melhor, e mesmo assim a T1i é ótima. Ser a pior, nesse caso, não significa necessariamente ser ruim, estou bem satisfeito com a minha.

      Excluir
    2. Ken Rockwell disse que se usa muito o redutor de ruidos na T1i que deixa as fotos com aparencia de compacta quando vista em 100%. Não se voce ja percebeu isso.

      Excluir
    3. Não porque não uso o redutor de ruído, mas é mais um indicativo de que não é uma câmera tão boa.

      Excluir
    4. Resumindo: a T3 é mesmo um bom negocio. Baixo ruido nas imagens e um preço baixo. Vale a pena mesmo comprar.

      Excluir
    5. Com certeza, o custo-benefício dela é imbatível entre as reflex de entrada.

      Excluir

Related Posts with Thumbnails