28 de fevereiro de 2013

Novas superzoom Sony para 2013

   A Sony mostra, mais uma vez, que o importante é vender. Ela segue coerente com a sua política de altíssimas resoluções que dá bons resultados em termos de vendas, sobretudo no Brasil onde possui uma enorme penetração no mercado mesmo estando entre as mais caras opções nesta categoria.
Sony WX300, a mais fina câmera com 20x de zoom no mundo
   A Sony WX300 é equipada com sensor CMOS de 18.2MP (1/2.3 de polegada com 18.9MP de resolução total); sua objetiva com 20x de zoom cobre distância focal entre 25-500mm com abertura f/3.5-6.5 e macro de 5cm; possui estabilizador óptico; sensibilidade ISO 80-12800; o tempo de exposição varia entre 1/1600 e 4 segundos; modo contínuo de 10fps; faz panorâmica na própria câmera e possui w-fi; o alcance do flash é de até 4.3 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 50fps em formato AVCHD e som estéreo; seu monitor LCD mede 3 polegadas; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 500 fotos por carga.
Painel traseiro com botão dedicado a vídeos
   Opinião do blogueiro: É a mais fina câmera com 20x de zoom no mundo, possui wi-fi embutido e uma bateria excepcional capaz de fazer até 500 fotos com a mesma carga. Estes são os atrativos desta câmera, o resto é o que já estamos acostumados a ver por aí. Não recomendada pois estará disponível a partir de março custando cerca de 330 dólares (nas cores preta, azul, vermelha e branca) e há coisa bem melhor nessa faixa de preço e na mesma categoria.
O anel de zoom e foco é uma nova tendência muito bem-vinda
   A Sony HX300 é equipada com sensor CMOS de 20.4MP (1/2.3 de polegada com 21.1MP de resolução total); sua objetiva Carl Zeiss com 50x de zoom cobre distância focal entre 24-1200mm com abertura f/2.8-6.3 e macro de 1cm; possui estabilizador óptico; sensibilidade ISO 80-12800; o tempo de exposição varia entre 1/4000 e 30 segundos; modo contínuo de 10fps; faz panorâmica na própria câmera e possui controles manuais; o alcance do flash é de até 12.4 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 50fps em formato AVCHD e som estéreo; seu monitor LCD mede 3 polegadas e possui viewfinder; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 310 fotos por carga.
Também há um botão lateral para controle de zoom
   Opinião do blogueiro: Os 50x de zoom sempre serão um atrativo para quem procura uma câmera de longo alcance mas com 20 megapixels será impossível competir com a concorrência que possui 12 megapixels deixando o sensor bem mais "limpo". O flash é super pontente e a presença  de um anel de zoom e foco eleva o status da câmera mas não é o suficiente. Não recomendada pois a concorrência possui, em teoria, uma qualidade bem superior custando o mesmo ou um pouco menos que os 500 dólares previstos para esta câmera a partir de março.

25 de fevereiro de 2013

Bolsa à prova d'água do site BangGood

   Os leitores que me acompanham nas redes sociais sabem do martírio que venho sofrendo com o acesso à internet praticamente nulo em minha residência, devido a isso até o aniversário de 3 anos do blog passou em branco pois eu gostaria de distribuir brindes aos leitores nesta data mas não foi possível, pensei até em fechar o blog. Mas, com ajuda de amigos consegui subir um vídeo de apresentação de uma bolsa à prova d'água que recebi do site chinês Bang Good. É uma bolsa multiuso e, dentre todas as suas utilidades, está a de acomodar e transportar com segurança equipamentos fotográficos.
   O link da bolsa no site está aqui e custa 39,99 dólares com frete grátis, aqui no Brasil uma bolsa deste tamanho custaria no mínimo o dobro do preço. Obrigado ao pessoal do site Bang Good por ter enviado a bolsa e pela paciência monstro em esperar eu conseguir subir o vídeo no Youtube.

video
Ver no Vimeo (Melhor qualidade)

   E, como prometido, os leitores mais assíduos do blog ganharão prêmios. A leitora que mais acessou o blog se registrando no botão "leu" na barrinha inferior foi a Wivi-Wiviany Dmc, conquistando mais pontos até o final do mês de janeiro e vai receber esta bolsa em casa. É necessário que entre em contato pelo e-mail rodrigo.jordy@gmail.com enviando seus dados de correspondência para envio da bolsa.

21 de fevereiro de 2013

Nikon D7100 já é realidade

   A Nikon D90 foi (ou ainda é) considerada por muitos uma lenda, mas a sua sucessora (a D7000) se mostrou muito superior, tanto que levou quase dois anos e meio para ter uma sucessora, durando um pouco mais que sua antecessora "lendária". Não acredito que a D7000 saia imediatamente de circulação, assim como ocorreu com a D90 que até hoje ainda é vendida mas terminou ficando muito defasada em relação à concorrência e seu preço hoje não configura um bom custo-benefício. Vamos conhecer a sua nova reflex de nível intermediário, a Nikon D7100.
Esteticamente nada mudou (ainda bem)
   A Nikon D7100 é equipada com sensor CMOS de 24.1MP (APS-C com 24.7MP de resolução total); possui 51 pontos de autofoco; faz fotos nas proporções 3:2 e 16:9 (esta última fazendo capturas em vídeos);  sensibilidade ISO 100-25600; fotômetro de -5 a +5; tempo de exposição varia entre 1/8000 e 30 segundos e sincronia com o flash em até 1/320; modo contínuo de 6fps; seu flash possui alcance de até 12 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 30 fps em formato MOV e som estéreo; seu monitor LCD mede 3.2 polegadas e possui viewfinder com 100% de cobertura da visão; é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 950 fotos. Estará disponível a partir de 21 de março ao custo de 1.200 dólares o corpo e 1.600 dólares o kit com objetiva 18-105mm.
Múltiplas conexões externas da D7100
   O corpo é em liga de magnésio e resistente a umidade, respingos e poeira; seu sistema de autofoco é o mesmo da poderosa Nikon D4; agora conta com microfone estéreo embutido em vez do mono; é compatível com o adaptador wi-fi WU1a e os adaptadores GPS-1 e GPS-1A; e não possui o filtro passa baixa que ficou famoso ao ser retirado da Nikon D800E e gera maior nitidez. Mas a grande novidade desta câmera é a possibilidade de fazer um crop extra de 1.3x no sensor se utilizando de um fator de corte mais agressivo de 1.95x mas vamos arredondar para 2x pra conta ficar mais fácil. Com este fator de corte (comumente usado nas Nikon full frame a fim de que possa ser possível a utilização de objetivas DX) a resolução passa a ser de 15.4MP e o modo contínuo passa a ser de 7fps.
Robusta e resistente como deveria ser
   Opinião do blogueiro: Com esta novidade do fator de corte extra passa a ser bem mais aceitável a exagerada resolução de 24 megapixels, passa a fazer mais sentido pois, com 15MP você consegue um fator de corte de 2x ampliando o alcance de todas as suas objetivas. Todo o resto da câmera é muito bom (como já era sua antecessora D7000) e a concorrência terá que mexer em muita coisa para conseguir ficar à frente da D7100. É câmera feita para permanecer na liderança da categoria. Absolutamente recomendada com a ressalva do valor bem alto que depois será elevado exponencialmente aqui no Brasil, como sempre...

Novas objetivas Sigma para Sony NEX e Micro 4/3

   Quem possui uma câmera de sistema compacto (as chamadas mirrorless ou sem espelho) começa a aproveitar os efeitos da popularização destes sistemas pelo mundo afora, menos no Brasil, é claro. As fabricantes de objetivas do mercado pararelo abriram os olhos para este grande maercado que se abre e produz lentes de alta qualidade em número cada vez maior.

   A Sigma 60mm f/2.8 DN (equivalente a 90mm nas Sony NEX e 120mm nas Micro 4/3) possui abertura mínima f/22; diafragma circular de 7 lâminas; sua construção interna é de 8 lentes em 6 grupos; a distância mínima de foco é de 50cm; o diâmetro para filtro é de 46mm; mede cerca de 6.1x5.6cm.


   A Sigma 30mm f/2.8 DN (equivalente a 45mm nas Sony NEX e 60mm nas Micro 4/3) possui abertura mínima f/22; diafragma circular de 7 lâminas; sua construção interna é de 7 lentes em 5 grupos; a distância mínima de foco é de 30cm; o diâmetro para filtro é de 46mm; mede cerca de 6.1x4.1cm.

   A Sigma 19mm f/2.8 DN (equivalente a 28.5mm nas Sony NEX e 38mm nas Micro 4/3) possui abertura mínima f/22; diafragma circular de 7 lâminas; sua construção interna é de 8 lentes em 6 grupos; a distância mínima de foco é de 20cm; o diâmetro para filtro é de 46mm; mede cerca de 6.1x4.6cm.
Sigma 60mm usada em uma Sony NEX7
   São lentes que aparentam possuir a mesma qualidade óptica apenas com distâncias focais diferentes. Fazem parte da nova série A (Art) da Sigma e prometem um desempenho superior às objetivas DN (nomenclatura da Sigma para lentes desenvolvidas para sistemas compactos) lançadas no ano passado, inclusive o acabamento é bem diferente e todas disponíveis nas cores preta e prata. Os preços e data para início das vendas não foram divulgados.

18 de fevereiro de 2013

Profissional ou semiprofissional - Parte 5

   Essa série de matérias já virou algo genérico, é quase que um "off-topic" do blog pois sempre surge algum assunto fora da área de equipamentos (mas não tão fora assim). E hoje vou falar sobre algumas escolhas erradas que fotógrafos iniciantes vem fazendo, pecando tanto por omissão quanto por excesso. É preciso saber balancear os gastos pois fotografia é uma coisa cara, seja por hobby ou por profissão. O texto é grande...
Imagem retirada do site do Colégio São Mauro
   Muitas das pessoas que frequentam fóruns de fotografia procurando ajuda, ou mesmo aqui o blog, já chegam no mundo da fotografia pensando em trabalhar e ganhar dinheiro com isso. Quase sempre se pensa em fotografar eventos e books e são ótimas formas de se aventurar neste meio. Ótimo, é a profissão da moda, todo mundo quer trabalhar com fotografia e mesmo que o mercado esteja saturado, os bons sempre sobressaem mas há três coisas importantes que devem ser levadas em conta ao pensar na fotografia como profissão:
  • É preciso ter um equipamento condizente com o trabalho que pretende fazer
  • Obrigatório investir em conhecimento, pois não adianta ter o equipamento e não saber usar
  • Os primeiros dois anos você trabalha para se sustentar e comprar equipamento, não há lucro
   Vou focar esta postagem na questão da escolha do equipamento certo que é a mais complicada, por incrível que pareça, pois há muitas pegadinhas que os fabricantes e a mídia impõem ao consumidor e as nomenclaturas "profissional" e "semiprofissional" possuem grande parcela de culpa nisso. As câmeras grandes e imponentes, com ar de profissional, em muitos casos estão longe de serem adequadas para a fotografia profissional. E para quem acha que milagrosamente comprando uma câmera de 500 reais se tornará um fotógrafo profissional, esse é o primeiro passo para o fracasso.

GE X500, câmera grande e imponente mas inadequada para uso profissional
   As principais câmeras que os aspirantes a fotógrafos profissionais pensam são as Fuji série S, GE série X, Olympus SP e SZ e Nikon série L. Por quê? Porque são grandes, chamam atenção e são baratas. E a qualidade de imagem? Deixa a desejar. As Olympus SP e SZ além das Nikon série L são totalmente automáticas, não possuem nada diferente de pequenas câmeras de 200 reais, são apenas grandes e possuem um longo alcance. As Fuji série S já estão num nível mais acima pois possuem controles manuais mas estes controles são limitados e, em algum momento, irão limitar o usuário. As GE série X também possuem os controles manuais, e totais, mas não é e nunca foi fabricante de câmeras ou lentes, entrou agora no mundo da fotografia digital e não há parceria com nenhuma grande marca relacionada à fotografia então, pelo menos a curto prazo, não há expectativa de que a GE venha a produzir boas câmeras.
Fuji HS50, bem superior ao modelo da GE mas ainda inadequada
   Então, se você pensa em começar na fotografia já ganhando dinheiro, fotografando profissionalmente, não deve pensar em nenhuma destas câmeras do parágrafo anterior. Mas, vamos aumentar de nível: temos as Canon SX, Panasonic FZ, Sony HX, Nikon P e Fuji HS. Todas com controles manuais totais e qualidade de imagem mais aceitável mas, esbarram no tamanho do sensor, as câmeras são grandes mas os sensores são pequenos e como o sensor é um fator determinante para a qualidade da câmera, estas câmeras também não servem para o uso profissional.
Exemplo de compacta premium superior a todas essas câmeras grandes mas pequena ninguém quer
Aumentando o nível mais uma vez temos as compactas premium, com sensores maiores mas, como se tratam de câmeras pequenas, nem passam pela cabeça dos fotógrafos aspirantes, não chamam atenção. Elas são melhores do que qualquer superzoom dessas grandes mas, infelizmente, ainda não são elas que darão os recursos necessários para a fotografia profissional. O sensor delas é maior mas ainda é muito pequeno para gerar uma qualidade em que seja possível usar um ISO mais alto sem correr o risco de estragar a foto.
Canon T4i, boa opção de reflex de entrada
   O nível acima destas câmeras compactas seriam as reflex, e aqui excluo as mirrorless por não possuírem grande penetração no mercado nacional. Uma reflex de entrada é o mínimo necessário para ingressarem na fotografia profissional. Dá para encontrar uma nova, na loja, a partir de 1.200 reais, o que é um preço bem razoável. Há 5 anos atrás não era tão barato assim e o acesso a este tipo de câmera era bem mais restrito às camadas mais altas da sociedade. Exemplos mais atuais de câmeras reflex de entrada são Canon T3, T3i e T4i, além de Nikon D3100, D3200, D5100 e D5200. Todas ótimas opções mas é bom ressaltar que são câmeras de entrada e como eu disse no início do parágrafo, são o mínimo necessário.
Nikon D600 é uma boa opção para profissionais mais experientes
   Agora que já se sabe o mínimo necessário para uma câmera é preciso pensar nos acessórios e o mais importante é o flash externo, afinal, não vamos usar o flash pop-up (que não é possível direcionar) apontando direto para o rosto das pessoas cegando-as a todo momento. Um flash externo pode ser adquirirdo por cerca de 800 reais. E não vamos nos esquecer da bateria extra da câmera, dois cartões de memória, carregador de pilhas e dois jogos de 4 pilhas para o flash. Tudo em dobro, sempre. Nunca corram risco de algo ser danificado e ficar na mão no meio de um trabalho. E no final, uma bolsa pra carregar toda a parafernália.
Flash Metz 48 AF-1 é o que possuo, há quem a chame de  "a Leica dos flashes"
   Somando a câmera, o flash e os acessórios todos dá cerca de 2.500 reais, isso só em equipamento! E o conhecimento? Agora entra em ação o que disse no segundo tópico das coisas importantes para os futuros profissionais da fotografia. Cursos, workshops e publicações especializadas em fotografia são obrigatórios e aí, há várias opções, depende de que área da fotografia pretende atuar. Separando 500 reais já dá pra adquirir ótimo conhecimento inicial mas nunca é o suficiente, é preciso investir sempre. Total dessa "brincadeira": 3 mil reais. Com essa quantia já dá pra começar a se aventurar na fotografia profissional. Se não investir em conhecimento será apenas um apertador de botão, nunca um fotógrafo profissional.
Tenho o Novo Manual de Fotografia de John Hedgecoe e recomendo
Mas lembram que eu falei que era bom ter tudo em dobro? Então, com o tempo terá que se preparar para adquirir uma segunda câmera, uma segunda lente e um segundo flash mas isso é com o tempo. Isso engloba o que eu disse no terceiro tópico das coisas importantes ao investir na fotografia como profissão: os primeiros dois anos (talvez até menos) são para investir em equipamento e se sustentar, nada de lucro. O lucro deve ser pensado apenas a médio e longo prazo.
É preciso ter um bom investimento inicial, fotografia é coisa séria
   Há também os que pecam por excesso, em vez de economizarem querem gastar mais do que o necessário, e o pior: gastar errado. Tem gente que já quer começar com Canon 7D ou Nikon D300 ou até uma full frame como Canon 5D Mark II ou Nikon D700. Sempre é melhor investir em lentes de qualidade em vez de gastar tudo no corpo pois as lentes ficam, os corpos se vão, você tá sempre evoluindo e um dia chega nesse nível. Mas não se sobe uma escada começando pelo último degrau.
Rebatedor entra na lista dos acessórios indispensáveis para books/ Equifoto
   Sei que esta postagem irá desencorajar alguns a se aventurar na fotografia profissional mas a verdade é essa: se não tem o mínimo para investir então desista mesmo. E se está pensando em ter lucro imediato, desista também, isso não existe na fotografia. Lógico que tudo o que eu disse em toda esta postagem se refere às pessoas que nunca usaram uma câmera mais avançada e já querem começar na fotografia trabalhando, ganhando dinheiro. Há muitas pessoas que seguem o caminho correto, compraram suas câmeras, investiram em cursos, começaram a pegar pequenos trabalhos, foram melhorando seus equipamentos aos poucos, depois começaram a pegar trabalhos mais pesados e aí começam a colher os frutos das escolhas corretas. O lucro começa a aparecer mas não depois de muita ralação e muito dinheiro saindo do bolso...
Equipamento que levei 3 anos pra juntar
   Nada do que está escrito aqui é verdade absoluta, é apenas a opinião de um fotógrafo amador que já se aventurou profissionalmente mas preferiu seguir fotografando por hobby. E há diversas situações que não se encaixam aqui, então peço que tenham bastante atenção ao interpretarem o que há neste enorme texto.

Links das postagens anteriores da série:

14 de fevereiro de 2013

Câmeras Pentax à prova d'água para 2013

   É inegável que as câmeras Pentax à prova d'água são as que possuem o visual mais compatível com a prática de esportes e tem ótima resistência mas a qualidade de imagem das suas antecessoras era simplesmente péssima. É torcer para que isso mude pois uma empresa do porte e tradição da Pentax tem condições de melhorar esse desempenho. E agora são 3 modelos, vamos conhecê-los:
Pentax WG10 surge como boa opção a baixo custo
   A Pentax WG10 é equipada com sensor CCD de 14MP (1/2.3 de polegada com 14.5MP de resolução total); sua objetiva com 5x de zoom cobre distância focal entre 28-140mm com abertura f/3.5-5.5 e macro de 1cm; possui estabilização por rastreamento de pixel; o tempo de exposição varia entre 1/1500 e 4 segundos; sensibilidade ISO 80-6400; modo contínuo de 0.7fps; o alcance do flash é de até 4 metros e possui 5 LEDs luminosos ao redor da lente; faz vídeos HD com taxa de 30fps em formato AVI com som mono; seu monitor LCD mede 2.7 polegadas; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 260 fotos por carga.
   Resistências: 10 metros de profundidade; 1,5 metro de choque; -10ºC de temperatura; poeira
Painel traseiro sem grandes novidadea
   Opinião do blogueiro: Não tem o sensor ruim de16MP do ano passado mas, ainda assim é uma incógnita. As especificações são boas observando-se as limitações normais de um sensor CCD que não faz vídeo Full HD e não possui um modo contínuo muito rápido (exceto o CCD de alta velocidade da Panasonic). Na data de hojeestá recomendada devido ao seu baixo custo, estará disponível a partir de abril por 180 dólares.
Os dois modelos de cima sem GPS e os dois de baixo com GPS
   As Pentax WG3 e WG3 GPS são equipadas com sensor CMOS de 16MP (1/2.3 de polegada com 16.8MP de resolução total); sua objetiva com 4x de zoom cobre distância focal entre 25-100mm com abertura f/2.0-4.9 e macro de 1cm; possuem estabilização pelo sensor; o tempo de exposição varia entre 1/4000 e 4 segundos; sensibilidade ISO 125-6400; modo contínuo não foi divulgado; o alcance do flash é de até 10.3 metros e possuem 6 LEDs luminosos ao redor da lente; faz vídeos Full HD com taxa de 30fps em formato MP4 e som estéreo; seu monitor LCD mede 3 polegadas; e são alimentadas por bateria com capacidade para cerca de 240 fotos por carga.
   Resistências: 14 metros de profundidade; 2 metros de choque; -10ºC de temperatura; poeira; 100kgf de pressão
A Pentax WG3 mostra em números, tanto na frente quanto atrás, o quanto a câmera é resistente
   Opinião do blogueiro: Se for o mesmo sensor do ano passado, esqueçam essa câmera. Apesar da lente clara com abertura de f/2.0 fazendo frente à Olympus TG2 e da sua aparência robusta que passa a impressão de possuir um selamento super eficiente.Se for um novo sensor é preciso aguardar alguns testes. Na data de hoje ainda não é recomendada e estará disponível a partir da primeira semana de abril ao custo de  250 dólares a versão sem GPS e 300 dólares a versão com GPS.

11 de fevereiro de 2013

Compactas Casio mais uma vez sobressaindo

   Já elogiei a Casio anteriormente aqui e continuarei elogiando e colocando uma pulga atrás da orelha do leitor: por que não apostar em uma marca que se esforça sempre para trazer produtos de qualidade em vez de continuar apostando em marcas de renome que cada vez menos se importam com a qualidade e vendem produtos mais caros sem os mesmos atrativos que a Casio possui? Lógico que também precisa de uma distribuição melhor aqui no Brasil mas eu convido o leitor a se aventurar com uma compacta Casio. No decorrer da matéria vocês entenderão.
Casio ZR400
   A Casio ZR400 é equipada com sensor CMOS de 16.1MP (1/2.3 de polegada com 16.8MP de resolução total); sua objetiva com 12.5x de zoom cobre distância focal entre 24-300mm com abertura f/3.0-5.9 e macro de 1cm; possui estabilização pelo sensor; sensibilidade ISO 80-25600; o tempo de exposição varia entre 1/2000 e 15 segundos; modo contínuo de até 10fps; possui controles manuais e faz panorâmicas na própria câmera; o alcance do flash é de até 4.7 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 30fps em formato MOV e som estéreo; seu monitor LCD mede 3 polegadas; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 515 fotos por carga.
Dial no alto possui os modos manual e de prioridades
   Opinião do blogueiro: Quantas câmeras compactas dotadas de controles manuais, bateria com duração de pilhas, vídeos com som estéreo e macro de 1cm o leitor consegue enumerar sem ser as caras compactas premium? Duas? Uma? Nenhuma, talvez? Então, era a isso que me referia no início do texto, grandes fabricantes produzem câmeras caras, de qualidade duvidosa e não possuem os mesmos recursos desta aí. Um ponto fraco é a falta de um fabricante de objetiva de qualidade e isso é algo que pode colocar todas as ótimas especificações por água abaixo. Ainda não há preço definido e data de disponibilidade mas, a princípio, recomendada.
Casio ZR700
   A Casio ZR700 é equipada com sensor CMOS de 16.1MP (1/2.3 de polegada com 16.8MP de resolução total); sua objetiva com 18x de zoom cobre distância focal entre 25-450mm com abertura f/3.5-5.9 e macro de 4cm; possui estabilização óptica; sensibilidade ISO 80-25600; o tempo de exposição varia entre 1/2000 e 15 segundos; modo contínuo de até 10fps; possui controles manuais, fotografa em RAW e faz panorâmicas na própria câmera; o alcance do flash é de até 3.5 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 30fps em formato MOV e som estéreo; seu monitor LCD mede 3 polegadas; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 470 fotos por carga.
Painel traseiro possui um controle giratório ausente no modelo anterior
   Opinião do blogueiro: Não possui especificações tão espetaculares quanto a irmã menor mas fotografa em RAW e possui um alcance maior. A bateria também tem uma longa duração mas já fica um pouco limitado demais o alcance do flash em 3.5 metros. Ainda assim está recomendada na data de hoje. Mesmo os preços ainda não terem sido definidos, o comunicado da Casio à imprensa fala em câmeras populares, então vamos aguardar.



7 de fevereiro de 2013

Nova Nikon P520

   A Nikon deu uma revigorada nas suas superzoom com a boa P100 em 2010 mas o que se viu depois foram duas sucessoras muito ruins trazendo de volta a opinião geral de que as compactas da gigante japonesa não fazem jus ao seu nome. Vamos ver o que a Nikon P520 trouxe de diferente e qual deve ser a expectativa em relação a ela.
Disponível nas cores preta, prata e vermelha
   A Nikon P520 é equipada com sensor CMOS de 18.1MP (1/2.3 de polegada com 18.9MP de resolução total); sua objetiva com 42x de zoom cobre distância focal entre 24-1000mm com abertura f/3.0-5.9 e macro de 1cm; possui estabilização óptica; sensibilidade ISO 80-12800; o tempo de exposição varia entre 1/4000 e 8 segundos; modo contínuo de até 7fps; o alcance do flash é de até 8 metros; faz vídeos Full HD com taxa de 30fps em formato MOV e som estéreo; seu monitor LCD móvel mede 3.2 polegadas; e é alimentada por bateria com capacidade para cerca de 200 fotos por carga.


Nenhuma modificação no seu layout

   Estranhamente, um dos sites da Nikon espalhados pelo mundo diz que a Nikon P520 possui um "zoom sem precedentes de 42x". Ora, sua própria antecessora, a P510, já possuía estes mesmos 42x de zoom (ou 41.67x para ser mais exato). É compatível com o adaptador wireless WU-1a para transferir dados sem fio e já vem com GPS embutido além de fazer fotos em 3D.

Excepcional monitor LCD móvel e controle de exposição giratório no painel traseiro
   Opinião do blogueiro: Infelizmente, na questão de qualidade de imagem, ela deve ser pior que suas antecessoras que já não eram grande coisa. O grande barato desta câmera é o grande monitor LCD e, desta vez, completamente móvel e não apenas inclinável como nas versões anteriores. A abertura de sua lente está dentro da média das principais concorrentes com o ótimo macro de 1cm e o tempo de exposição de 1/4000 é bem atraente. A bateria que só faz 200 fotos também pode ser considerado um dos pontos fracos desta câmera. Não recomendada pois há opções bem melhores custando a mesma coisa ou pouco mais caro do que o valor sugerido de 450 dólares.

P.S. A continuarem os comentários ofensivos, estes serão deletados sumariamente. É possível criticar e discordar sem ofender e xingar o blogueiro.

4 de fevereiro de 2013

Mural Janeiro/2013

   O ano tem sido turbulento para o blogueiro, alguns problemas pessoais e falta de conexão à internet, e fiquei impossibilitado de fazer uma análise com maior dedicação das fotos enviadas pelos leitores no último mês. E relembrando: a única forma de as fotos aparecerem aqui no mural é compartilhando suas fotos com o nosso grupo no Flickr, daí eu escolho as que me chamarem mais a atenção por motivos diversos. Vamos às artes e aos artistas do mês de janeiro:

Dayne Dantas usando Canon 60D + 18-55mm
Ana + Mario = Athos ♥
Criatividade e sensibilidade juntas

Ana Carla Aquino usando Canon T3 + 18-55mm
Vila Germânica
Esquema de cores interessante

Edinho Carlos Kunzler usando Panasonic FZ35
Mais cabanas
Aqui a composição chama a atenção

Luís Carlos Fernandes usando Panasonic FZ47
Cidade idealizada
Um pouco de criatividade junto a uma boa composição

Juliano Gemelli usando Nikon D3100 + 18-55mm
gruta
A paisagem natural ajuda muito mas a composição também ficou muito boa

Wellington Lemos Xavier usando Nikon D3100 + 50mm f/1.8
Flamejante
Foto bastante técnica

Estatísticas e curiosidades da galeria:

  • Das 6 fotos selecionadas, 4 foram feitas com câmeras reflex e 2 com câmeras compactas
  • Apenas 3 marcas foram usadas e todas em 2 ocasiões: Canon, Nikon e Panasonic
  • A câmera mais usada (e única que se repetiu) foi a Nikon D3100, 2 vezes
  • A objetiva mais usada ( e também única a se repetir) foi a 18-55mm, 3 vezes (uma Nikon e duas Canon)
  • Pela primeira vez foi fotografado um tablet aqui no blog
  • Também foi a primeira vez que se viu um reflexo em uma lâmpada aqui no mural
Related Posts with Thumbnails